Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Elvis não morreu, continua vivo e mora numa roulotte na Califórnia

O Elvis não morreu, continua vivo e mora numa roulotte na Califórnia, é um blog de música, de momentos, de memórias, de eventos, de acontecimentos, novidades e reportagem sobre música.

21
Abr16

A importância de um relógio

Elvis

É impossível determinar a real importância de um relógio. Para uns é um objeto útil e indispensável, para outros fútil e dispensável, para outros um objeto de culto ou coleção e para outros um mero acessório de moda. Para mim os relógios são aquilo que sou, representam o ponto em que estou na minha vida. Não tenho tido uma relação constante com os relógios, esta relação está muito associada à atitude que tenho perante a vida, há períodos em que me foco e em que o relógio no pulso tangibiliza esse foco, é algo que me recorda dos objetivos, das metas, de tudo o que preciso para conseguir o quero, sobretudo a nunca me esquecer dos compromissos que assumo.

 

27
Jan16

Adore!

Elvis

Depois de uma pausa de algumas semanas, o Elvis está de regresso.

 

Além da morte do meu ídolo David Bowie, janeiro antecipa  muitos e bons concertos no verão e trouxe também o segundo álbum das britânicas Savages.

Gosto muito da primeira impressão que algumas musicas causam. Gosto das musicas que à primeira vez que as oiço parecem naturais, que encaixam, que não necessitam de habituação à custa da repetição. E assim com naturalidade encaixei este ADORE, adoro o baixo, adoro a guitarra, adoro a voz, adoro a dinâmica da musica, adoro a melodia,

 

23
Dez15

Someday at Christmas

Elvis

Quando era miúdo passei sempre o natal em casa dos meus avós. Os meus avós habitavam uma moradia em lisboa. A casa era grande e fria, especialmente na época de natal. O meu avô acendia uns aquecedores grandes a petróleo que aqueciam aquele corredor enorme. Ao fundo do corredor o oratório estava sempre aberto e iluminado, no centro o Menino Jesus, deitado nas palhas e uma vela sempre acesa. Na sala do piano o meu avô tocava, várias pessoas que passavam o natal connosco cantavam. Tenho saudades de ouvir o meu avô tocar, tocava bem, pelo menos aos olhos de uma criança. Na sala de jantar a mesa sempre posta com requinte, o cesto do pão e uma garrafa de vinho tinto, nunca saíam da mesa durante os dias de natal. A cozinha era uma corrupio, panelas ao lume, frigorifico a abrir e a fechar, travessas a serem preparadas, doces a serem ultimados, para não atrapalhar, sentava-me no 3º de grau das escadas que iam para o sótão e dali observava a agitação. As minhas tias mais velhas, dividiam-se umas ficavam a ouvir o meu avô tocar, outras iam para a sala da televisão e ali vegetavam a ver um daqueles programas de natal dos anos 80. No último quarto da casa, ao fundo do corredor do lado esquerdo, junto do oratório, iam sendo depositados os presentes de natal, eram agrupados por pessoa, claro que não tinha acesso a este quarto. Estava fechado a sete chaves, só à meia noite de dia 24 podia ir ver os meus presentes.

 

22
Dez15

Silence

Elvis

Eu pessoalmente gosto de silêncio, para variar da agitação, do reboliço dos dias, gosto de desfrutar de momentos de silêncio. Diria, faz-me falta alguns momentos de silêncio. Mas o silêncio não é objetivamente uno, existem vários silêncios, várias interpretações e nem sempre são bons, nem sempre é inócuo ou o catalisador da agitação diária, por vezes o silêncio traz consigo intenções e interpretações, mais evidentes que muitas palavras.

É sereno, quando trás a paz de espírito de 5 minutos de silêncio absoluto, onde nada perturba o cérebro ou os pensamentos. É revigorante sentir o silêncio da noite, que repousa, que embala noite fora, que descansa. É contemplativo, permite observar e imaginar, sem verbalizar o que vê ou pensa. Por vezes é forçado, por respeito, ou porque um momento assim exige, seja para escutar a voz de um fadista, seja para fazer um minuto de silencio em memória de alguém. É rancoroso, quando se vira costas e nunca mais se volta a falar. É prudente, quando impede de dizermos o que não sentimos. É malandro, quando deixa em suspenso, deixa a curiosidade de uma resposta que não se dá. É maldoso, sempre que deixa sem resposta quem nos procura de forma aberta e sincera. É intimista, quando sabemos o que outro está a pensar só pelo olhar. É cobarde, quando um nó nos aperta a garganta e nos censura a expressar os pensamentos. É superior, quando não responde a quem não nos respeita. É mentiroso, quando esconde a verdade. Acho que nunca conseguiria acabar de caracterizar o silêncio, mas o silêncio que menos gosto é o definitivo, aquele que é impossível de inverter.

19
Dez15

Ball of confusion

Elvis

Já não me consigo lembrar de tudo o que fizemos juntos, mas uma vez por ano juntamo-nos para celebrar o natal com um jantar, para nos revermos e constatarmos que aos poucos o tempo passa e aquelas mil e uma aventuras ficam cada vez mais para trás. No sábado foi assim, jantar de natal, tempo para pormos a conversa em dia, de voltarmos a ser quase como eramos há 25 anos atrás. Para uns a vida correu bem, para outros vai correndo, para outros a vida está hoje como estava há 25 anos.

IMG_5356.JPG

 Conversamos, rimos, pusemo-nos a par da vida uns dos outros e guardamos duas ou três boas gargalhadas para um ou outro episódio memorável que recordamos com saudade.  

Ball of confusion na versão dos Love & Rockets era música habitual no “Túnel” uma discoteca em Torres Vedras. Por vezes íamos ao Túnel, era um acontecimento, planeávamos com semanas de antecedência, contávamos os carros, decidíamos quem conduzia e quem portanto não bebia e quando chegava o dia era a loucura. Fomos muitas vezes ao túnel, quase todas as vezes foram saídas giras, mas houve uma em particular que acabou num arraial de pancadaria.

Uma cena bem cliché, uma disputa por umas raparigas da zona que nos acharam graça, os rapazes locais sentiram-se ofendidos porque estávamos a “roubar” as suas miúdas, um encontrão, levou a outro encontrão, começaram os empurrões, passado um pouco estava a confusão instalada, não foi possível acalmar a exaltação. O Túnel saiu do nosso roteiro, nunca mais lá voltamos e aquela noite foi um verdadeiro baile de confusão!

16
Dez15

2016 Underneath the Stars

Elvis

Há muitas movimentações para os concertos de 2016. Todos os dias são divulgados novos nomes, novos concertos e já sinto a carteira a esvaziar só de anunciarem nomes. Para o ano, alem dos habituais festivais, ainda há Rock in Rio, mas à parte de festivais, há uma agenda bem preenchida de concertos para a MEO arena e principais salas de lisboa. Vou fazer um ponto da situação, não muito exaustivo e apenas para a cidade de lisboa. O Elvis, vai tentar sistematizar tudo o que já está anunciado e dizer o que não vai perder. Alem desta lista ainda há rumores bem interessantes sobre New Order, Pearl Jam, Coldpaly, que podem tornar o ano de 2016 um dos mais profícuos em termos de concertos.

 

Janeiro:

Dia 16 – Hozier – Coliseu dos Recreios – O Elvis só vai se a Priscilla quiser ir

Dia 25 - Bryan Adams – MEO Arena – O Elvis não vai

 

Fevereiro

06 – Rita Redshoes – CCB (Sala Sophia de Mello Bryner) – O Elvis não vai

06 – The Tallest man on earth – Armazém F – O Elvis não vai

08 – Machine head – Coliseu dos Recreios – O Elvis não vai

12 – Paus – Cinema São Jorge (Sala Manoel de Oliveira) – O Elvis não vai

13 – Biuka – Coliseu dos Recreios – O Elvis não vai

Dias 17,18 e 19 – Miguel Araujo e António Zambujo – O Elvis não vai

 

 Março

Dia 02 – Boyce Aveniue – Coliseu dos Recreios – O Elvis não vai

Dia 04 – Maria Gadú – CCB (Grande auditório) – O Elvis talvez vá

Dia 05 – Noiserv – CCB (Sala Luis Freitas Branco) – O Elvis não vai

Dia 05 – Eagles of Death Metal – Coliseu dos recreios - O Elvis vai

Dia 05 – Seu Jorge – MEO Arena – O Elvis não vai

Dia 06 – Kodaline – Coliseu dos Recreios – O Elvis talvez vá

Dia 12 – Marco Paulo - Coliseu dos Recreios – O Elvis só vai se a Priscilla quiser ir (LOL)

Dia 25 – Paula Fernandes - Coliseu dos Recreios – O Elvis não vai

 

Abril

Dia 02 – Linda Martini – Coliseu dos Recreios – O Elvis talvez vá

Dia 02 – Samuel Úria - CCB (Sala Luis Freitas Branco) – O Elvis não vai

Dia 09 – Ana Moura – MEO arena– O Elvis não vai

Dia 12 – Fat Freddys Drop – O Elvis não vai

Dia 16 – Kygo – MEO arena– O Elvis não vai

Dia 18 – Florance and the machine– O Elvis não vai

 

Maio

Dia 02 – Muse – MEO arena – O Elvis não vai

Dia 03 – Muse – MEO arena – O Elvis não vai

Dia 07 – AC/DC – Passeio Marítimo de Algés – O Elvis não vai

Dia 21 – Adele – MEO arena – O Elvis não vai

Dia 22 – Adele – MEO arena – O Elvis não vai

Dia 20 – RiR – Queen+ Adam Lambert – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

Dia 21 – RiR –  ? – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

Dia 26 – RiR –  ? – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

Dia 27 – RiR –  Hollywood Vampires – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

Dia 28 – RiR – Maroon 5 – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

  

Julho

Dia 07 – Alive – Pixies (palco NOS Stage); 1975 (palco NOS Stage); Wolf Alice (Palco Heineken) – O Elvis vai

Dia 08 – Alive – Foals (palco NOS Stage); Years & Years (palco NOS Stage); Father John Misty (Palco Heineken) – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

Dia 09 – Alive – M83 (palco NOS Stage), José González (Palco Heineken) – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

Dia 11 Julho – Iron Maiden - MEO arena – O Elvis não vai

Dia 14 – SBSR - The National (Palco Super Bock); Kurt Vile (Palco EDP); Jamie xx (Palco EDP) – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

Dia 15 – SBSR - Mac deMarco (Palco EDP); Bloc Party (Palco Super Bock) – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz
Dia 16 – SBSR - ? – O Elvis vai esperar para ver mais do cartaz

 

Novembro

22 – The Cure – MEO arena – O Elvis já tem bilhete!

15
Dez15

Modern Love

Elvis

Li ontem um artigo na Maria Capaz pela Tania Gonçalves, que me deixou a pensar. Não foi a critica explicita aos homens que me fez meditar, mas sim por alguma falta de noção dos homens de hoje. Antes uma declaração de principio, acho que não sou nem machista, nem feminista. Eu diria que os homens de hoje, não estão à espera, nem querem a mulher submissa que a Tania fala, uma mulher que lhes faça a cama todos os dias, lhes ponha o jantar na mesa às 8 em ponto, se remetam a lavoures e costura e a acompanhe todas as telenovelas. Os homens de hoje, também já não são aqueles de antigamente, que deixavam a mulher à noite em casa, para sair com os amigos e chegar a casa demasiado bêbados, ou que menosprezavam a sua opinião, pois eles é que sabiam. Os homens de hoje procuram relações de igualdade, daquelas em que há espaço para tudo, onde não há supremacia de sexos, onde o benefício conjunto, se sobrepõe ao benefício individual.

 

09
Dez15

Astigmatismo, Miopia, e outras doenças da vista

Elvis

Astigmatismo

Alguém por estes dias disse o seguinte ”Quando se ama quer-se tudo. Dá-se tudo. Espera-se tudo”. Eu diria que não poderia estar mais de acordo, mas esta afirmação é do meu ponto de vista incompleta, eu acrescentaria, entrega-se tudo. Esta entrega é uma consequência de amar, surge com naturalidade, não é forçada por passados, presente ou futuro, surge porque é um imperativo de consciência, porque se sente uma urgência de entregar. Se não considerarmos a

 

07
Dez15

Folhetim #4 - Mrs. Robinson

Elvis

Saiu de casa em direção ao metro, estava a 5 estações de ser uma vez mais o herói dos amigos. Ao longo dos já 3 anos na universidade, nunca teve problemas com a sua consciência, só tinha um objetivo divertir-se, mesmo que isso magoasse os outros. Pelas suas contas mais de 200 raparigas haviam passado pela sua cama, talvez saiba o nome de apenas 20. Nunca se apegou a ninguém porque isso implicaria abrandar no seu estilo libertino de viver. A sua fama era bem conhecida, despertava muita curiosidade nas colegas, amigas que naturalmente se aproximavam dele à procura de

 

O Elvis na rede

Já passou...

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Eu

foto do autor